segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Vejam o filme e comentem

Filme

5 comentários:

Francisco Garcia disse...

É consumismo a falar mais alto.
Mas nunca tinha pensado na parte do preço das coisas,realmente quem paga o objecto é mesmo todo o sistema de produção,afectando montes de pessoas e mesmo ambiente.
Bom post, gostei

Bicho da serra disse...

Já tinha visto este documentário, e, infelizmente, é a sociedade que temos actualmente... Consumismo sem consciência é a palavra de ordem. Mas não é de admirar, se o preço que pagamos pelas coisas, nunca é o preço que a Natureza e as outras pessoas (as que trabalham e morrem na extracção dos materiais para se construir o que consumimos) pagam, que é sempre super superior ao que vemos nos supermercados...

É triste, mas estamos assim... Mas dá-me vontade de mexer e mudar as coisas :D

Catarina disse...

Este não é o vídeo do último Conselho de Grupo??
Sabem o que eu acho? O conforto sai caro.
E nós podemos culpar-nos, porque eu senti-me culpada ao ver isto, mas o consumismo nao parte exactamente de nós. Somos manipulados desde sempre, em função de interesses maiores, de gente gananciosa. E sem dar conta, somos como eles, protegidos das grandes maldades.
O ser humano interferiu demais na ordem natural das coisas.

Maggie disse...

A verdade é que na prática é raro parar para pensar nisto, mas ainda assim sentimo-nos mal.. podemos pensar em fazer alguma coisa, mas o quê ?
Com todos estes avanços consumistas ganhámos qualidade de vida e é possível encontrar soluções que não interfiram nesta qualidade que já alcançámos ? Comércio justo, por exemplo..
Até que ponto podemos ter a certeza absoluta que o produto que temos nas mãos custa exactamente aquilo que pagámos por ele, e que com a sua compra não afectámos as pessoas que trabalharam para o podermos comprar e não houve desperdício de recursos?
Fazemos parte de uma cadeia da qual não podemos saír, e não digo que não nos devemos preocupar pq há sempre algumas coisas que podemos e devemos fazer.

Sara Ab. disse...

Penso que é com vídeos e iniciativas assim que as coisas mudam... Porque no fundo, quem cria este ciclo são pessoas como nós. É certo que é um pouco manipulado por maiores interesses e instituições muito fora do nosso alcance, mas nós é que somos os consumidores.
Se cada vez mais pessoas prestarem atenção, e quiserem fazer alguma coisa, as coisas começam a mudar (demasiado devagar, provavelmente, mas mesmo assim, uma mudança)... Uma alteração de mentalidades não provém só de uma pessoa, mas de milhões que se unem para alterar algo na maneira de pensar e agir da sociedade que habitam. E é com iniciativas assim que a mensagem se espalha.