segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Pureza e Consciência

Boa Noite...
No dia da minha passagem foram me entregues duas virtudes caminheiras e foi me pedido que disse se o que elas significavam para mim. As duas virtudes foram pureza e consciência...
Pureza é a ideia de tentarmos ser o mais limpos, transparentes possíveis mas também altruístas é uma mistura de todos os bons valores existentes. Acho que também é mais do que uma virtude, é algo quase transcendente, no sentido em que provavelmente nunca seremos/serei puro(s)... Quando li pela primeira vez a lei de escoteiro e vi "O Escoteiros é puro nos pensamentos, nas palavras e nas acções" pensei como é que isso é possível ? Mas agora entendo, se calhar a ideia não é sermos mas tentarmos ser... Todos os dias quando tomamos decisões ou ao pensarmos em algo em que acreditamos temos que ter em mente a ideia de pureza, não uma ordem mas sim um objectivo, uma virtude que temos que desejar cumprir mesmo que nem sempre seja possível pois como seres humanos não somos perfeitos e muito menos puros...
Consciência é a virtude de conseguirmos olhar em redor e sermos capazes de criticar positivamente ou não o que vemos ( consciência social ), o que muitas vezes é fácil, o mais complicado é sermos capazes de nos auto-criticarmos ou olharmos para dentro e vermos o que podemos alterar ou melhorar ( consciência psicológica ). Quando falamos em consciência lembro me de consciência moral e ética que me leva para uma das minha memorias favoritas, a de um pequeno grilo, vestido de homem, a dizer nos o que está bem e mal e principalmente o que devemos ou não fazer, ou seja termos noção das nossas acções, e antes de as tomarmos pensarmos nas suas consequências ou pelo menos termos a certeza que a intenção com que agimos é a boa.
Aqui está !! Ass Pedro Alves

2 comentários:

Z disse...

Há uns tempos a reformulação da Lei de Escoteiro da AEP levou a que deixássemos de usar "o Escoteiro é puro..." para "o Escoteiro é íntegro..."

O que é que acharam da mudança?


Canhotas

Zé Filipe

Pedro Alves disse...

Se calhar íntegro é mais actual e mais realista, pois a palavra puro está ligado com a ideia de pureza da igreja catolica apostolica romana que diz de puro uma pessoa sem imperfeições com apenas todas as qualidades boas... na minha visão uma coisa impossivel e inexistente. Talvez a transição mas correcta, tendo em conta a nossa sociedade, seja de puro para íntegro.. Por outro lado pode ser visto como uma descida no nivel de exigência, pois puro é mais concreto ( mesmo que inalcançável ) e íntegro mais abstrato...
Canhotas mais 1
Pedro Alves